quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Se joga!!!

Ahaaa... estou de volta! Nem deu 1 mês ainda... óóó... 3 dias só desde o último... tô melhorando!

Acabei de assistir o filme "Tinha que ser você", com Dustin Hoffman e Emma Thompson. Na realidade o filme chama-se Last chance Harvey, enfim... Conta a história de um compositor e uma mulher de 40 anos que estão apenas "passando" seus dias ou, como costumo dizer, são pessoas mornas (sabe aquele tipo de pessoa que vc nem nota? se nota, sente compaixão ou pena? aquela pessoa que faz tudo igual, não muda, não evolui, tudo sempre dá errado com ela - ou é assim que ela enxerga - ... é morna, não causa emoção ou como diria o paulista "não causa"). Daí eles se encontram passam uma noite juntos passeando, conversando, dançando (não tem sexo, nem beijo - aliás tem um selinho) e... ufa! acordam pra vida! Quer dizer... ele acorda!!! Ela (mulher, né?!) fica com medo... Depois da noite maravilhosa eles marcam um encontro no dia seguinte. Ele tem uma arritmia e não consegue ir, depois procura a digníssima, que já está toda emburradinha sem nem saber o que aconteceu, pra explicar.

Não vou contar o filme todo porque é sobre esse ponto que quero falar um pouco. Durante a explicação dele ela disse, abre aspas: "Eu não esperava que você fosse... eu quase desejei que você não fosse, porque assim seria mais fácil. Porque mais cedo ou mais tarde vc vai me dizer que precisa de espaço, que não dá mais. Vai doer e eu vou sofrer...", fecha aspas.

Gente, vamos combinar, ser humano (ok, mulher!) é um bichinho complicado demais! Por que nós sempre julgamos as relações futuras através das relações passadas??? Como assim a mulher não quer pagar pra ver o que vai acontecer? Ela nem tem parâmetro pra avaliar, pois passou uma noite (ok, uma noite apaixonante, mas uma única noite) com o cara!!! Realmente, não dá pra ser feliz assim! A pessoa tem que ser morna mesmo!

Pessoas que não são mornas se jogam!!!! Pagam pra ver, dão a cara a tapa, não ficam fazendo conta do dia que fulano me traiu, do dia em que ciclano me enganou, daquela vez que sofri e engordei (ts... ts... ok, me incluo... 7 kg... pula essa parte!). Enfim, essas pessoas com certeza sofrem e se decepcionam mais, mas com certeza absoluta vivem momentos muito mais felizes, muito mais intensos. Porque felicidade é feita de momentos e de intensidade (não é à toa que rimam).

Olhando pra trás entendo que por esse motivo tenho cicatrizes de 2 relações muito importantes na minha vida que não deram certo. Mas olhando além das cicatrizes... putz... tem muuuuuitos momentos intensos e indescritíveis! Tem muito sorriso de pura alegria, tem muito aprendizado... enfim, tem muito muito!

Quase perdi isso... percebi que nos últimos 6 meses eu estava morna, estava passando pela vida... coitadinha de mim, né?! coitadinha o escambau... colhemos o que plantamos! E eu escolho colher as alegrias e o aprendizado.

Me joguei de novo!!! E, por favor, não me segurem!

Fica o convite para esquentar o que está morno: podemos trocar o que está ruim ou arrumar, basta ponderar o que vale mais a pena... infelizmente não tem receita (nem livrinho de auto-ajuda dá jeito, nem adianta tirar os seus empoeirados da prateleira!).

Fui! E como diria meu sábio pai: quando alçamos vôos muito altos os tombos tendem a ser piores, a solução é aprender a planar... e isso só quem já se jogou muito é que tem conhecimento de causa pra saber como se faz (nem adianta ir no google pesquisar sobre aviões, embraer, aeromodelismo...). Tem que experimentar messssmo!!!

Se joga, nega(o)!!!!!

Ps.: horário errado, 01:15 da matina

Ps2: pai, é clichê, mas queria ter te ouvido mais há 10 anos atrás... bom, mas talvez eu não tivesse aprendido a planar tão bem porque os tombos foram muitos... obrigada por ter estado junto pra cuidar dos machucados! Te amo!!!

2 comentários:

  1. NOVO OLHAR SOBRE A MATEMÁTICA,
    http://www.ufpa.br/beiradorio/novo/index.php/leia-tambem/124-edicao-93--abril/1189-novo-olhar-sobre-a-matematica

    Quem quiser material, fazer capacitação, etc, é gratuito, peça: jbn@ufpa.br

    ResponderExcluir